EXODUS   2001/2006

uma produção Olho Cantante
Concepção e criação  Mendel Hardeman
Música  Kate Neal, Mendel Hardeman
Duração  75'



Sinopse
Sobre o pedregulho se vê um espelho. Nele está um pombo. Suas pernas estão acorrentadas, fixas à moldura de madeira do espelho. Suas unhas arranham o vidro. Ele tenta levantar vôo - se ergue acima do chão e por alguns segundos suspende-se no ar - mas as correntes o trazem de volta, batendo no reflexo do vidro gelado. Não há fuga. Ele é forçado a viver com seu próprio reflexo.

Em EXODUS, um sonho sobre suicídio desencadeia uma sucessão de imagens diretamente do subconsciente. É a vida que passa em frente aos olhos como um filme, durante o silêncio em câmera lenta que enche o ar no instante do suicídio. Uma vida cheia de dúvidas, ego-reflexão compulsiva, sentimentos de perdição religiosa, o desejo de amor que nunca se sacia, e uma ternura extraviada que é sublimada numa crueldade introvertida.

EXODUS é um diário de poesia visual, um sonho aprisionado, envolto em si mesmo. Um embrião, não-nascido, que é arrastado por seu cordão umbilical através de infinitos corredores subterrâneos. Um pássaro livre que repentinamente se encontra aprisionada numa bolha de sabão. Sentimentos de solidão fsica, rastejando como insetos perdidos na superfície de uma pele humana. Eles levam o espectador, numa viagem pela mente e pelos sentimentos de um ser humano em profunda depressão - um ser que tenta desesperadamente se salvar usando sua câmera como meio de terapia. Tudo isto coagula num filme muito pessoal e autobiográfico, como um fluxo de consciência povoado de metáforas e símbolos que despertam e executam sua dança infernal ao redor de uma mente pronta para morrer; mas no fim despertando inesperadamente, numa catarse libertadora que rompe o fio da história, revelando como o filme foi feito e por que o seu autor continua em vida.

Feito com uma câmera digital portátil, com imagens capturadas nos anos de 2000 e 2001, o filme permaneceu sem edição at o fim de 2005, quando finalmente senti que a distância entre mim e o tema tinha crescido suficientemente para poder transformá-lo num filme.




Título  EXODUS
Produzido na  Holanda, 2006
Formato original  DVcam-PAL, 4:3
Duração  74 min 35 sec
Línguas  Inglês, Grego, Hebraico, Português, Espanhol

Escrito, produzido e feito por  Mendel Hardeman
Uma produção  Singing Eye / Zingend Oog
Música  Mendel Hardeman, Kate Neal

Aparecem no filme
Antonia Fritche
Barbara Okma
Brodie Nairn
Debora Hardeman
Josu Melendez Pelez
Jurrian Vil
Kate Neal
Mendel Hardeman
Richard Price
Robbie B.
Rdiger Meyer

Câmeras adicionais, luzes, cabos, força, etc
Antonia Fritche
Barbara Okma
Bernd Hrpfer
Brapakaran Magalingam
Daniel Zorzano
Debora Hardeman
Josu Melendez Pelez
Kate Neal
Maria Schina
Rdiger Meyer
Tao Vrhovec-Sambolec

Arte em vidro  Brodie Nairn
Arte em látex  Natascha van Nooijen Kooij
Origami  Debora Hardeman
Poesia  o livro de Eclesiastes
o livro de Gênesis
Mendel Hardeman
Krista Vincent
Nikos Gkatsos

Projeto de som adicional  Mathis Nitschke
Vozes  Hagar Stav, Mendel Hardeman
Música original executada por
Andr O'Neil
Brice Soniano
Daniel Zorzano
Elin Søderstrom
Goska Hojenska
Kate Neal
Josué Melendez Peláez
Mar Tenas Bastida
Mendel Hardeman
Susanne Dick

Apoio financeiro
Fonds voor de Scheppende Toonkunst



Mendel Hardeman arquivo 1999-2006
o olho que canta